Ops! Parece que você
não está cadastrado ainda.

Para assistir aos vídeos do Assista MultiRio, é necessário que você se cadastre. Não se preocupe: o cadastro é rápido e gratuito. Caso você já tenha um cadastro, faça seu login clicando na opção "login" no menu superior.

Clique aqui para fazer seu cadastro

assistindo agora...

Professoras alfabetizadoras 2

As experiências de duas professoras premiadas pelo Alfabetiza Rio 2014: Elaine Alves Leite, da E.M. Ricardo Brentani, em Santa Cruz/10ª CRE, e Sônia de Araújo Pinto, da E.M. José Pancetti, em Realengo/8ª CRE. 

Alfabetização
Educadores
Língua Portuguesa
Práticas Docentes
Especial sobre alfabetização
A professora e doutora em Educação Cecília Goulart, da Faculdade de Educação da UFF, comenta as mudanças trazidas pelas tecnologias; a capacitação voltada para o olhar mais individualizado do professor em relação aos alunos; e a importância do contato com a leitura já nos primeiros meses de vida. 
Matemática divertida
A professora Angela Ramos busca usar a criatividade e questões cotidianas para desmistificar o medo da Matemática que muitos alunos têm. A educadora da E.M. Conselheiro Mayrink, no Maracanã/2ª CRE, montou um pequeno sebo de gibis para ensinar os pequenos a lidar com dinheiro e a fazer contas, além de incentivar a leitura. 
Professoras alfabetizadoras 3
O trabalho diferenciado das professoras alfabetizadoras Paola Brum Arguelho, da E.M. Mário Penna da Rocha; e Maria de Fátima Rangel, da E.M. Haydea Vianna Fiuza de Castro, premiadas no Alfabetiza Rio 2014. 
Língua Portuguesa, com certeza
A professora Lucimar Adão, da Sala de Leitura da E.M. Desembargador Oscar Tenório, na Gávea/2ªCRE, acredita que o aprendizado da Língua Portuguesa deve ser sempre divertido. Por isso, faz parcerias com professores de outras disciplinas, promove passeios e cria projetos a fim de atrair os alunos para o prazer da leitura. 
Professoras alfabetizadoras 1
O trabalho das educadoras Ana Paula Calmon, da E.M. Presidente José Linhares, em Ipanema/2ª CRE, e Ana Laura Longugubo, da E.M. Montese, em Cordovil/4ª CRE, duas das vencedoras do Alfabetiza Rio 2014. 
Combatendo o preconceito com conhecimento
Qual É a Graça é o nome do projeto do professor de Ciências Luiz Henrique de Melo Rosa, da E.M. Herbert Moses, no Jardim América (4ª CRE). Questões ligadas ao preconceito e à escravidão, além da importância dos heróis afro-brasileiros para a construção da identidade nacional, são discutidas em um jardim temático que ele criou na escola. Para garimpar novas plantas, ele frequenta feiras e hortos florestais como o de Guaratiba. 
Vídeo e educação
Luiz Claudio Motta Lima é professor de Geografia e da Oficina de Vídeos do Núcleo de Arte Grécia, da E.M. Grécia, 4ª CRE. No trabalho com os alunos, instiga o olhar crítico sobre a produção audiovisual, mostra a influência dessa mídia sobre a sociedade e desperta a valorização do lugar onde se mora. Ele mesmo gosta de frequentar espaços culturais e áreas de lazer na Vila da Penha e arredores, como a Lona Cultural Municipal João Bosco.
Sala de Leitura, um espaço para projetos
Professor de Geografia e da Sala de Leitura da E.M. Chile, Ricardo Neves montou uma oficina de produção de notícias, resgatando o jornal O Chilegal, que a escola imprimia nos anos 1980. Criou, também, o Centro de Educação Ambiental da escola, que elabora pesquisas no entorno e mutirões para pintura dos muros da unidade. Nas horas de lazer, Ricardo visita feiras e outros locais onde possa conseguir mudas nativas da Mata Atlântica.
Gestão na Educação Infantil
Estabelecer um forte elo da escola com a comunidade escolar é a base da gestão de Ana Claudia Alencar Portella, diretora do EDI Professora Giovana Bansi, em Bangu. Depois da recepção aos pais, na chegada das crianças, começa uma série de reuniões de planejamento, acompanhamento de projetos e supervisão do funcionamento da unidade. Nas horas de lazer, um dos programas de Ana Claudia é pedalar pelas ciclovias da cidade.
Sala de Leitura: o coração da escola
Os mais de 600 estudantes do Ciep Glauber Rocha (6ª CRE), na Pavuna, contam com a iniciativa da professora da Sala de Leitura Edilza de Souza Mello Barboza, em projetos lúdicos e criativos: contação de histórias, com apoio de alunos monitores; montagem de peça teatral; passeio pela Bienal e outras atividades. Fora da escola, a professora aproveita o tempo para fazer caminhadas em locais como o Parque Madureira.
Acelerando o futuro
Professora do programa Acelera, que atende alunos com alguma defasagem idade-série, Luciene Firmo leciona na E.M. Isaías Alves (6ª CRE), em Guadalupe. Lá, criou o projeto Padrinhos Mágicos, em que funcionários e professores da escola apadrinham os alunos e acompanham o desenvolvimento escolar de cada um. Uma das atividades é debater e escrever sobre letras de músicas; outra, dentro do projeto Vai e Vem, é ler um livro por semana e comentar. 
A inclusão como direito
Por meio de atividades lúdicas e com o apoio da sala de recursos multifuncionais da escola, a professora Claudia Scorza, da E.M. Floriano Peixoto (1ª CRE), em São Cristóvão, alfabetizou e formou uma turma regular com dois alunos especiais. A sala de recursos é uma ferramenta desenvolvida pelo Instituto Helena Antipoff, que implementa as políticas educacionais visando à inclusão dos alunos com deficiência em toda a Rede. 
Alimentando o conhecimento
Aulas sobre pirâmide alimentar, produção de sucos e de receitas culinárias em sala fazem parte do trabalho da professora Daiane de Macedo Costa com os alunos do 3º ano da E.M. Jean Mermoz (3ª CRE), no Cachambi. Na cozinha, agentes preparadoras de alimentos utilizam cardápios elaborados pelo Instituto Municipal de Nutrição Annes Dias, tornando a merenda atrativa, saborosa e muito saudável.
Gestão participativa
Os desafios da gestão escolar com a experiência de Jarilda da Fonseca, diretora da E.M. Professora Leocádia Torres (10ª CRE), em Guaratiba. A educadora cria um clima de responsabilidade compartilhada na direção, no qual toda a equipe pensa junto e dialoga, em busca de alternativas e soluções para gerenciar alunos e professores.
Paixão pela escrita
Construção coletiva de histórias, encenação teatral a partir de um livro infantil e paródia de programa televisivo são atividades utilizadas para desenvolver a leitura e a escrita. A responsável pelo projeto é a professora Sandra Mara dos Santos Manso, do Ciep Professor Darcy Ribeiro, da 9ª CRE, em Campo Grande. 
Ler é tudo!
A experiência da professora alfabetizadora Evelin José na E.M. Ministro Plínio Casado (4ª CRE), em Brás de Pina, criando atividades lúdicas que incentivam a leitura. Com pós-graduação em Neurociências, a educadora aguçou a percepção sobre os diferentes ritmos de aprendizado e passou a dar atenção individualizada a seus alunos. 
Xadrez campeão
O projeto Heróis do Tabuleiro, da E.M. Frederico Eyer (7ª CRE), na Cidade de Deus, ajuda os alunos a exercitar a mente e a combater dificuldades de aprendizado. O jogo de estratégia, criado pela professora de Educação Física Fátima Bispo, faz com que as crianças tenham mais concentração nas atividades e transmite valores como a ética e a honestidade.
Inglês com música
Danielle Costa Couto, do Ginásio Experimental Carioca Anísio Teixeira, desafia seus alunos a escrever poesias e a produzir vídeos com músicas de sucesso. A professora de Inglês costuma utilizar recursos lúdicos em suas aulas, tornando o aprendizado mais fácil, prazeroso e divertido. 
Desenhando o futuro
Nas turmas com defasagem entre idade e série do projeto Acelera II, da E.M. Estado da Guanabara, em Higienópolis, o trabalho do professor Jair Filho soma criatividade e dedicação. Artista plástico nas horas vagas, o educador aproveita seu talento para criar atividades com arte que ajudam os alunos a superar as dificuldades de aprendizado.
Dançar para construir laços
A dança como parceira do aprendizado. A professora Rita Alves, que leciona Educação Física na E.M. Pará (5ª CRE), em Rocha Miranda, leva para seus alunos a história de diversas manifestações artísticas e brincadeiras infantis. A iniciativa faz parte do projeto pedagógico da escola e já rendeu prêmios na Mostra Municipal de Dança, promovida pela SME. 
Educação ambiental essencial
Plantio orgânico, hidroponia e criação de aves são temas das aulas de Educação Ambiental do professor Lúcio Teixeira, no Ciep Francisco Cavalcante Pontes de Miranda (9ª CRE), em Campo Grande. O objetivo é que os alunos disseminem as noções de reciclagem, economia de energia e reaproveitamento de água da chuva, aprendidas na escola. 
450 anos de cidadania
Na E.M. Edmundo Bittencourt (1ª CRE), em São Cristóvão, a experiência da professora Maria Aparecida Gomes Bago com o uso de atividades lúdicas para os alunos dos primeiros anos do Ensino Fundamental. Em conjunto com toda a escola, no desenvolvimento do tema “450 anos do Rio de Janeiro”, Aparecida cria atividades que misturam arte, matemática, música e língua portuguesa. 
Especial Alfabetização – Ludicidade
As professoras Liliane Martins Nunes da Silva, da E.M. Euzebio de Queiroz(8ª CRE), e Carla Ferreira Floro, da E.M. Engenheiro Álvaro Sodré (7ª CRE), premiadas pelo Alfabetiza Rio 2013, falam sobre a importância da ludicidade na alfabetização.
Especial Alfabetização – Leitura
A relevância da leitura no processo de alfabetização é tema de entrevistas com professoras do 1º ano do Ensino Fundamental. Conheça a prática das educadoras Simone Barbosa, da E.M. Quintino Bocaiúva (5ª CRE), e Andrea Souza Chaves, da E.M. General Euclydes de Figueiredo (2ª CRE). 
Especial Alfabetização – Escrita
Professoras do 1º ano do Ensino Fundamental premiadas pelo Alfabetiza Rio 2013 comentam os caminhos para o desenvolvimento da escrita no processo de alfabetização. Em destaque, a prática da educadora Ana Lúcia da Silva, da E.M. Professora Elisa Joaquina Daltro Peixoto (10ª CRE).
Gestão, desafios e conquistas
A E.M. Haydea Vianna Fiuza de Castro (10ª CRE), em Paciência, se tornou referência na cidade. A diretora Patrícia Gomes conta como elevou a nota da escola no Ideb realizando reuniões e avaliações periódicas com a equipe e estabelecendo de metas internas.
Leitura e ação
Para aperfeiçoar a leitura dos alunos do Centro Municipal de Referência de Educação de Jovens e Adultos – Creja, a professora de Teatro Silvia Werneck faz leitura e interpretação de peças com os alunos, exercitando construção de personagens, voz, improvisação e desenvoltura para ler em público. Veja o resultado do trabalho da educadora! 
Ler e escrever com prazer
Já pensou em incentivar a leitura e a escrita dos alunos com um correio? Foi o que a professora Patrícia Merçon promoveu no Ciep Almir Bonfim de Andrade (7ª CRE), em Vila Valqueire. Ela criou o Correio ABA, projeto no qual os alunos do 3º ano trabalham a leitura e a escrita por meio da troca de correspondência. 
Educação, formação e cumplicidade
O professor José Ricardo Estrela, da E.M. Epitácio Pessoa (2ª CRE), aponta como diferencial do GEC, o foco no protagonismo juvenil, no Projeto de Vida e no horário integral. Em suas aulas, experimentos práticos traduzem os ensinamentos teóricos. Já nos Clubes, criados pelos próprios alunos, o kit Megassaudável, da MultiRio, tem sido utilizado como suporte para conversas com o 2º segmento. Nesse período, é possível se inscrever em eletivas e, com a orientação dos próprios professores, se preparar para concursos públicos oferecidos pelas escolas técnicas públicas. 
Movimento e cidadania
Apaixonado por voleibol, o professor de Educação Física Antônio Costa, da E.M. Leonel Azevedo (11ª CRE), em Portuguesa, na Ilha do Governador, é responsável por projetos sociais como o Vôlei na Rede, do Instituto Compartilhar. Para ele, o esporte influencia a formação do indivíduo, incentiva o surgimento de novas lideranças e estimula a cooperação.
Firmeza e carinho
Nas aulas de Ciências, a professora Taíse Nascimento trabalha preservação ambiental com recursos audiovisuais. Um dos projetos da turma é o terrário, confeccionado pelos alunos do 4º ano da E.M. Leônidas Sobrinho Porto (8ª CRE), em Bangu. Conheça mais sobre o trabalho da educadora! 
De igual para igual
O professor Thiago Trindade, da E.M. Rinaldo De Lamare (2ª CRE), em São Conrado, por meio da música, de aulas-passeio e atividades teatrais, desenvolve diferentes habilidades em seus alunos, além de valores como autoestima e autonomia.
Avaliação e resultado
A avaliação permanente é um dos segredos do sucesso de Liliane Martins, professora e coordenadora pedagógica da E.M. Eusébio de Queiroz (8ª CRE), em Padre Miguel. Ao estabelecer metas de trabalho e refletir constantemente sobre sua prática, Liliane acumula histórias de superação e conquistas.
Interdisciplinaridade
Com sua postura agregadora, Mariangela Longhi, professora de Ciências da E.M. Roma (2ª CRE), transforma a construção do conhecimento em uma aventura prazerosa. 
Uma gestão de sucesso
A ação de Arinaldo Rocha da Silva, diretor da E.M. Oswaldo Cru (3ª CRE), junto com uma equipe unida e famílias participativas, mudou a realidade de uma escola onde havia indisciplina e evasão.
Ficha Técnica

Indicação: escola e sociedade Formato: documentário Redação: Kitty Kiffer e Patrícia Costa Direção: Antonio Gonzalez

Ensinar e Aprender
2018
Educação
Educadores
Práticas Docentes
Práticas pedagógicas de professores e diretores da Rede Municipal de Ensino do Rio de Janeiro, que fazem a diferença no desenvolvimento do processo educacional e interferem de forma positiva no contexto escolar.
Episódios
Especial sobre alfabetização
A professora e doutora em Educação Cecília Goulart, da Faculdade de Educação da UFF, comenta as mudanças trazidas pelas tecnologias; a capacitação voltada para o olhar mais individualizado do professor em relação aos alunos; e a importância do contato com a leitura já nos primeiros meses de vida. 
Matemática divertida
A professora Angela Ramos busca usar a criatividade e questões cotidianas para desmistificar o medo da Matemática que muitos alunos têm. A educadora da E.M. Conselheiro Mayrink, no Maracanã/2ª CRE, montou um pequeno sebo de gibis para ensinar os pequenos a lidar com dinheiro e a fazer contas, além de incentivar a leitura. 
Professoras alfabetizadoras 3
O trabalho diferenciado das professoras alfabetizadoras Paola Brum Arguelho, da E.M. Mário Penna da Rocha; e Maria de Fátima Rangel, da E.M. Haydea Vianna Fiuza de Castro, premiadas no Alfabetiza Rio 2014. 
Língua Portuguesa, com certeza
A professora Lucimar Adão, da Sala de Leitura da E.M. Desembargador Oscar Tenório, na Gávea/2ªCRE, acredita que o aprendizado da Língua Portuguesa deve ser sempre divertido. Por isso, faz parcerias com professores de outras disciplinas, promove passeios e cria projetos a fim de atrair os alunos para o prazer da leitura. 
Professoras alfabetizadoras 2
As experiências de duas professoras premiadas pelo Alfabetiza Rio 2014: Elaine Alves Leite, da E.M. Ricardo Brentani, em Santa Cruz/10ª CRE, e Sônia de Araújo Pinto, da E.M. José Pancetti, em Realengo/8ª CRE. 
Professoras alfabetizadoras 1
O trabalho das educadoras Ana Paula Calmon, da E.M. Presidente José Linhares, em Ipanema/2ª CRE, e Ana Laura Longugubo, da E.M. Montese, em Cordovil/4ª CRE, duas das vencedoras do Alfabetiza Rio 2014. 
Combatendo o preconceito com conhecimento
Qual É a Graça é o nome do projeto do professor de Ciências Luiz Henrique de Melo Rosa, da E.M. Herbert Moses, no Jardim América (4ª CRE). Questões ligadas ao preconceito e à escravidão, além da importância dos heróis afro-brasileiros para a construção da identidade nacional, são discutidas em um jardim temático que ele criou na escola. Para garimpar novas plantas, ele frequenta feiras e hortos florestais como o de Guaratiba. 
Vídeo e educação
Luiz Claudio Motta Lima é professor de Geografia e da Oficina de Vídeos do Núcleo de Arte Grécia, da E.M. Grécia, 4ª CRE. No trabalho com os alunos, instiga o olhar crítico sobre a produção audiovisual, mostra a influência dessa mídia sobre a sociedade e desperta a valorização do lugar onde se mora. Ele mesmo gosta de frequentar espaços culturais e áreas de lazer na Vila da Penha e arredores, como a Lona Cultural Municipal João Bosco.
Sala de Leitura, um espaço para projetos
Professor de Geografia e da Sala de Leitura da E.M. Chile, Ricardo Neves montou uma oficina de produção de notícias, resgatando o jornal O Chilegal, que a escola imprimia nos anos 1980. Criou, também, o Centro de Educação Ambiental da escola, que elabora pesquisas no entorno e mutirões para pintura dos muros da unidade. Nas horas de lazer, Ricardo visita feiras e outros locais onde possa conseguir mudas nativas da Mata Atlântica.
Gestão na Educação Infantil
Estabelecer um forte elo da escola com a comunidade escolar é a base da gestão de Ana Claudia Alencar Portella, diretora do EDI Professora Giovana Bansi, em Bangu. Depois da recepção aos pais, na chegada das crianças, começa uma série de reuniões de planejamento, acompanhamento de projetos e supervisão do funcionamento da unidade. Nas horas de lazer, um dos programas de Ana Claudia é pedalar pelas ciclovias da cidade.
Sala de Leitura: o coração da escola
Os mais de 600 estudantes do Ciep Glauber Rocha (6ª CRE), na Pavuna, contam com a iniciativa da professora da Sala de Leitura Edilza de Souza Mello Barboza, em projetos lúdicos e criativos: contação de histórias, com apoio de alunos monitores; montagem de peça teatral; passeio pela Bienal e outras atividades. Fora da escola, a professora aproveita o tempo para fazer caminhadas em locais como o Parque Madureira.
Acelerando o futuro
Professora do programa Acelera, que atende alunos com alguma defasagem idade-série, Luciene Firmo leciona na E.M. Isaías Alves (6ª CRE), em Guadalupe. Lá, criou o projeto Padrinhos Mágicos, em que funcionários e professores da escola apadrinham os alunos e acompanham o desenvolvimento escolar de cada um. Uma das atividades é debater e escrever sobre letras de músicas; outra, dentro do projeto Vai e Vem, é ler um livro por semana e comentar. 
A inclusão como direito
Por meio de atividades lúdicas e com o apoio da sala de recursos multifuncionais da escola, a professora Claudia Scorza, da E.M. Floriano Peixoto (1ª CRE), em São Cristóvão, alfabetizou e formou uma turma regular com dois alunos especiais. A sala de recursos é uma ferramenta desenvolvida pelo Instituto Helena Antipoff, que implementa as políticas educacionais visando à inclusão dos alunos com deficiência em toda a Rede. 
Alimentando o conhecimento
Aulas sobre pirâmide alimentar, produção de sucos e de receitas culinárias em sala fazem parte do trabalho da professora Daiane de Macedo Costa com os alunos do 3º ano da E.M. Jean Mermoz (3ª CRE), no Cachambi. Na cozinha, agentes preparadoras de alimentos utilizam cardápios elaborados pelo Instituto Municipal de Nutrição Annes Dias, tornando a merenda atrativa, saborosa e muito saudável.
Gestão participativa
Os desafios da gestão escolar com a experiência de Jarilda da Fonseca, diretora da E.M. Professora Leocádia Torres (10ª CRE), em Guaratiba. A educadora cria um clima de responsabilidade compartilhada na direção, no qual toda a equipe pensa junto e dialoga, em busca de alternativas e soluções para gerenciar alunos e professores.
Paixão pela escrita
Construção coletiva de histórias, encenação teatral a partir de um livro infantil e paródia de programa televisivo são atividades utilizadas para desenvolver a leitura e a escrita. A responsável pelo projeto é a professora Sandra Mara dos Santos Manso, do Ciep Professor Darcy Ribeiro, da 9ª CRE, em Campo Grande. 
Ler é tudo!
A experiência da professora alfabetizadora Evelin José na E.M. Ministro Plínio Casado (4ª CRE), em Brás de Pina, criando atividades lúdicas que incentivam a leitura. Com pós-graduação em Neurociências, a educadora aguçou a percepção sobre os diferentes ritmos de aprendizado e passou a dar atenção individualizada a seus alunos. 
Xadrez campeão
O projeto Heróis do Tabuleiro, da E.M. Frederico Eyer (7ª CRE), na Cidade de Deus, ajuda os alunos a exercitar a mente e a combater dificuldades de aprendizado. O jogo de estratégia, criado pela professora de Educação Física Fátima Bispo, faz com que as crianças tenham mais concentração nas atividades e transmite valores como a ética e a honestidade.
Inglês com música
Danielle Costa Couto, do Ginásio Experimental Carioca Anísio Teixeira, desafia seus alunos a escrever poesias e a produzir vídeos com músicas de sucesso. A professora de Inglês costuma utilizar recursos lúdicos em suas aulas, tornando o aprendizado mais fácil, prazeroso e divertido. 
Desenhando o futuro
Nas turmas com defasagem entre idade e série do projeto Acelera II, da E.M. Estado da Guanabara, em Higienópolis, o trabalho do professor Jair Filho soma criatividade e dedicação. Artista plástico nas horas vagas, o educador aproveita seu talento para criar atividades com arte que ajudam os alunos a superar as dificuldades de aprendizado.
Dançar para construir laços
A dança como parceira do aprendizado. A professora Rita Alves, que leciona Educação Física na E.M. Pará (5ª CRE), em Rocha Miranda, leva para seus alunos a história de diversas manifestações artísticas e brincadeiras infantis. A iniciativa faz parte do projeto pedagógico da escola e já rendeu prêmios na Mostra Municipal de Dança, promovida pela SME. 
Educação ambiental essencial
Plantio orgânico, hidroponia e criação de aves são temas das aulas de Educação Ambiental do professor Lúcio Teixeira, no Ciep Francisco Cavalcante Pontes de Miranda (9ª CRE), em Campo Grande. O objetivo é que os alunos disseminem as noções de reciclagem, economia de energia e reaproveitamento de água da chuva, aprendidas na escola. 
450 anos de cidadania
Na E.M. Edmundo Bittencourt (1ª CRE), em São Cristóvão, a experiência da professora Maria Aparecida Gomes Bago com o uso de atividades lúdicas para os alunos dos primeiros anos do Ensino Fundamental. Em conjunto com toda a escola, no desenvolvimento do tema “450 anos do Rio de Janeiro”, Aparecida cria atividades que misturam arte, matemática, música e língua portuguesa. 
Especial Alfabetização – Ludicidade
As professoras Liliane Martins Nunes da Silva, da E.M. Euzebio de Queiroz(8ª CRE), e Carla Ferreira Floro, da E.M. Engenheiro Álvaro Sodré (7ª CRE), premiadas pelo Alfabetiza Rio 2013, falam sobre a importância da ludicidade na alfabetização.
Especial Alfabetização – Leitura
A relevância da leitura no processo de alfabetização é tema de entrevistas com professoras do 1º ano do Ensino Fundamental. Conheça a prática das educadoras Simone Barbosa, da E.M. Quintino Bocaiúva (5ª CRE), e Andrea Souza Chaves, da E.M. General Euclydes de Figueiredo (2ª CRE). 
Especial Alfabetização – Escrita
Professoras do 1º ano do Ensino Fundamental premiadas pelo Alfabetiza Rio 2013 comentam os caminhos para o desenvolvimento da escrita no processo de alfabetização. Em destaque, a prática da educadora Ana Lúcia da Silva, da E.M. Professora Elisa Joaquina Daltro Peixoto (10ª CRE).
Gestão, desafios e conquistas
A E.M. Haydea Vianna Fiuza de Castro (10ª CRE), em Paciência, se tornou referência na cidade. A diretora Patrícia Gomes conta como elevou a nota da escola no Ideb realizando reuniões e avaliações periódicas com a equipe e estabelecendo de metas internas.
Leitura e ação
Para aperfeiçoar a leitura dos alunos do Centro Municipal de Referência de Educação de Jovens e Adultos – Creja, a professora de Teatro Silvia Werneck faz leitura e interpretação de peças com os alunos, exercitando construção de personagens, voz, improvisação e desenvoltura para ler em público. Veja o resultado do trabalho da educadora! 
Ler e escrever com prazer
Já pensou em incentivar a leitura e a escrita dos alunos com um correio? Foi o que a professora Patrícia Merçon promoveu no Ciep Almir Bonfim de Andrade (7ª CRE), em Vila Valqueire. Ela criou o Correio ABA, projeto no qual os alunos do 3º ano trabalham a leitura e a escrita por meio da troca de correspondência. 
Educação, formação e cumplicidade
O professor José Ricardo Estrela, da E.M. Epitácio Pessoa (2ª CRE), aponta como diferencial do GEC, o foco no protagonismo juvenil, no Projeto de Vida e no horário integral. Em suas aulas, experimentos práticos traduzem os ensinamentos teóricos. Já nos Clubes, criados pelos próprios alunos, o kit Megassaudável, da MultiRio, tem sido utilizado como suporte para conversas com o 2º segmento. Nesse período, é possível se inscrever em eletivas e, com a orientação dos próprios professores, se preparar para concursos públicos oferecidos pelas escolas técnicas públicas. 
Movimento e cidadania
Apaixonado por voleibol, o professor de Educação Física Antônio Costa, da E.M. Leonel Azevedo (11ª CRE), em Portuguesa, na Ilha do Governador, é responsável por projetos sociais como o Vôlei na Rede, do Instituto Compartilhar. Para ele, o esporte influencia a formação do indivíduo, incentiva o surgimento de novas lideranças e estimula a cooperação.
Firmeza e carinho
Nas aulas de Ciências, a professora Taíse Nascimento trabalha preservação ambiental com recursos audiovisuais. Um dos projetos da turma é o terrário, confeccionado pelos alunos do 4º ano da E.M. Leônidas Sobrinho Porto (8ª CRE), em Bangu. Conheça mais sobre o trabalho da educadora! 
De igual para igual
O professor Thiago Trindade, da E.M. Rinaldo De Lamare (2ª CRE), em São Conrado, por meio da música, de aulas-passeio e atividades teatrais, desenvolve diferentes habilidades em seus alunos, além de valores como autoestima e autonomia.
Avaliação e resultado
A avaliação permanente é um dos segredos do sucesso de Liliane Martins, professora e coordenadora pedagógica da E.M. Eusébio de Queiroz (8ª CRE), em Padre Miguel. Ao estabelecer metas de trabalho e refletir constantemente sobre sua prática, Liliane acumula histórias de superação e conquistas.
Interdisciplinaridade
Com sua postura agregadora, Mariangela Longhi, professora de Ciências da E.M. Roma (2ª CRE), transforma a construção do conhecimento em uma aventura prazerosa. 
Uma gestão de sucesso
A ação de Arinaldo Rocha da Silva, diretor da E.M. Oswaldo Cru (3ª CRE), junto com uma equipe unida e famílias participativas, mudou a realidade de uma escola onde havia indisciplina e evasão.