Viagem no tempo
0
0
0
s2sdefault
introducao

Introdução     

A disputa dos 100m é considerada por muitos como a principal prova do atletismo mundial, sendo um dos eventos mais esperados a cada edição dos Jogos Olímpicos e dos campeonatos mundiais da modalidade. Cada instante conta durante os poucos segundos em que os atletas estão na pista. Enquanto isso, do lado de fora, o tempo parece parar, tamanhas são a expectativa e a ansiedade dos que assistem.

 

Para que um tempo seja oficializado como recorde mundial, a Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF, na sigla em inglês), órgão máximo da modalidade, estabeleceu algumas normas.

 

É necessário que a prova seja disputada a céu aberto e tenha cronometragem eletrônica. Além disso, se o vento estiver no mesmo sentido do percurso dos atletas, sua velocidade não pode ser superior a 2m/s, pois valores acima desse limite beneficiam o desempenho dos corredores.

1912 donald lippencott 

Donald Lippincot (EUA) 10.6''

A IAAF começou a registrar oficialmente o recorde da prova em 1912, durante os Jogos Olímpicos de Estocolmo.

 

O norte-americano Lippincot obteve o tempo de 10.6’’ durante a classificatória para a final olímpica, recorde que durou mais de oito anos. Para sua tristeza, ele não conseguiu repetir o desempenho no momento mais importante, ficando apenas com a medalha de bronze em Estocolmo.

 1921 charles paddock

Charles Paddock (EUA) 10.4''

Paddock já havia se sagrado campeão olímpico em 1920, na Antuérpia, quando registrou o novo recorde. 

Suas outras medalhas olímpicas são o ouro no revezamento 4x100m (1920) e duas pratas nos 200m (1920 e 1924).

 1928 percy williams

Percy Williams (Canadá) 10.3''

Para pagar a passagem de navio que o levou aos Jogos Olímpicos de 1928, em Amsterdã, Williams trabalhou como garçom e lavador de pratos.

 

Valeu a pena! O canadense levou o ouro nos 100m e 200m.

 

Dois anos depois, em Toronto, marcou o novo recorde mundial. 

 1936 jesse owens

Jesse Owens (EUA) 10.2''

Desde que o recorde começou a ser registrado, essa marca de Jesse Owens foi a que mais tempo levou para ser batida, sendo superada depois de 20 anos.

 

Owens conseguiu-a poucos meses antes de fazer história nos Jogos Olímpicos de Berlim, quando conquistou quatro medalhas de ouro e desmoralizou o mito de superioridade da raça branca defendido pelo governo nazista da Alemanha.

 1956 willie williams

Willie Williams (EUA) 10.1''

Willie talvez tenha sido o detentor do recorde com a carreira mais discreta.

 

Essa marca foi registrada durante um evento militar em Berlim.

 1960 armin hary

Armin Hary (Alemanha Oriental) 10.0''

Hary estabeleceu o novo recorde poucos meses antes de conquistar o ouro nos Jogos Olímpicos de Roma.

 

Curiosamente, ele foi o primeiro campeão olímpico dos 100m a vir de um país cuja língua oficial não era o inglês (os anteriores vieram dos Estados Unidos, Inglaterra, África do Sul e Canadá).  

 1968 jim hines

Jim Hines (EUA) 9.95''

Hines foi o primeiro homem a quebrar a barreira dos dez segundos e também o primeiro a ter o recorde registrado levando em conta os centésimos de segundo, com cronometragem eletrônica. Até então, os tempos eram marcados com cronômetros de mão, capazes de sinalizar apenas os décimos de segundo.

 

Se um atleta conseguisse a marca de 10.01’’ e outro corresse em 10.09’’, ambos os tempos seriam marcados como 10.0’’. Por causa disso, houve momentos em que até 10 velocistas compartilharam o recorde mundial. Numa prova como essa, cada centésimo faz diferença, como você poderá perceber nos recordes a partir daqui.

 

A partir de 1977, a IAAF passou a considerar apenas os tempos registrados com o auxílio da tecnologia.

 1987 calvin smith

Calvin Smith (EUA) 9.93''

 A essa altura, as principais provas de atletismo já eram disputadas em pistas de piso sintético, favorecendo o desempenho dos corredores.

 

Ao contrário das antigas pistas de terra batida, o material sintético possibilita passadas mais regulares e permite que os atletas aproveitem melhor a energia do movimento. 

 1988 carl lewis

Carl Lewis (EUA) 9.92''

Essa marca de Lewis, obtida na final olímpica de Seul 1988, fez parte de um dos momentos mais chocantes do esporte.

 

O canadense Ben Johnson ganhou a prova com o tempo de 9.79’’, o que seria um novo recorde, mas três dias depois foi pego no exame antidoping. Com isso, perdeu a medalha de ouro e seu tempo foi desconsiderado.

 

O ouro e o recorde foram para Lewis, que havia cruzado a linha de chegada em segundo lugar, com 9.92’’. Assim, o norte-americano se tornou o primeiro atleta a deter, ao mesmo tempo, o título olímpico, o título mundial e o recorde mundial.

 1991 leroy burrell

Leroy Burrell (EUA) 9.90''

Burrell atingiu esse tempo em junho de 1991. Na final do Mundial de Atletismo, em setembro do mesmo ano, ele perdeu a prova e o recorde para Carl Lewis.   
 1991 carl lewis

Carl Lewis (EUA) 9.86''

Quando Lewis conquistou seu terceiro título mundial e voltou a ser o recordista, ele estava com 30 anos e muitos consideravam que seu auge já havia passado.

 

Com esse tempo, ele venceu a prova mais disputada da história até então, com seis competidores terminando-a em menos de dez segundos.

 1991 leroy burrell

Leroy Burrell (EUA) 9.85''

Burrell foi o recordista mundial em duas ocasiões, mas essas marcas não vieram acompanhadas de grandes conquistas internacionais em provas individuais.

 

Com muitos problemas de lesão durante sua carreira, o norte-americano só obteve medalhas de ouro em Jogos Olímpicos e Mundiais em provas de revezamento.

 1996 donovan bailey

Donovan Bailey (Canadá) 9.84''

Ao conquistar o ouro olímpico em Atlanta, com direito a novo recorde, Bailey ajudou a restaurar a imagem dos atletas canadenses, abalada após o caso de doping de Ben Johnson.

 1999 maurice greene

Maurice Greene (EUA) 9.79''

Além do recorde, Greene colecionou títulos: tricampeão mundial (1997, 1999 e 2001) e ouro olímpico (2000) nos 100m; campeão mundial nos 200m (1999); e campeão mundial (1999)e ouro olímpico (2000) no revezamento 4x100m.

 2005 asafa powell

Asafa Powell (Jamaica) 9.77''

Após um decepcionante 5º lugar nos Jogos Olímpicos de Atenas, no ano anterior, Powell quebrou o recorde mundial pela primeira vez.

 2007 asafa powell

Asafa Powell (Jamaica) 9.74''

Detentor do recorde por duas vezes, Powell nunca conseguiu vitórias individuais em Mundiais e Jogos Olímpicos.

 

Em compensação, é o atleta que mais vezes (97) conseguiu completar os 100m em menos de dez segundos.

 

Ele possui dois ouros olímpicos (2008 e 2016) e dois títulos mundiais (2009 e 2015) no revezamento 4x100m.

 2008 usain bolt 1

Usain Bolt (Jamaica) 9.72''

Quando bateu o recorde pela primeira vez, em um evento em Nova York, Bolt ainda era um novato em provas de 100m. Antes dedicado aos 200m, era apenas a quinta vez que ele competia em uma prova oficial dessa distância. Um sinal do que estava por vir.

 2008 usain bolt

Usain Bolt (Jamaica) 9.69''

Bolt quebrou o recorde pela segunda vez na final olímpica de Pequim. A prova ficou marcada pela comemoração do atleta antes mesmo da linha de chegada, tamanha a vantagem em relação aos adversários.

 

Um estudo feito pelo Instituto de Física da Universidade de Oslo indica que, caso tivesse se empenhado até o fim, seu tempo seria em torno de 9.55''.

 

Essa prova trouxe o primeiro ouro olímpico de Bolt, que mais tarde se tornaria o único atleta a vencê-la três vezes seguidas (2008, 2012 e 2016). 

 2009 usain bolt 2

Usain Bolt (Jamaica) 9.58''

O fenômeno Usain Bolt, considerado o maior velocista da história, é dono do atual recorde mundial e também do segundo melhor desempenho já registrado: 9.63’’, que lhe valeu a medalha de ouro e o recorde olímpico em Londres 2012.

 

Além disso, é o recordista dos 200m (19.19’’) e fez parte da equipe jamaicana que estabeleceu o atual recorde do revezamento 4x100m (36.84’’).

 

Seu tempo obtido na final do Mundial de Atletismo de 2009, em Berlim, representou a maior diferença (11 centésimos de segundo) entre um recorde novo e um antigo desde o início da cronometragem eletrônica. Sua velocidade média nessa prova foi de 37.58km/h e a velocidade máxima chegou a 44.72km/h.

Mais Viagem no tempo