Um experimento realizado na Universidade Hanyang, de Seul, na Coreia do Sul, revelou recentemente um dado surpreendente: que os bebês memorizam conhecimento daquela língua que ouvem desde o ventre materno. No estudo, adultos sul-coreanos que haviam sido adotados quando bebês por pais holandeses foram testados em pronunciar consoantes em coreano antes e depois de fazer um curso rápido do idioma. O desempenho do grupo também foi comparado com adultos que jamais haviam tido contato com aquela língua. Antes das aulas, a performance de ambos havia sido idêntica. Depois das aulas, no entanto, os que haviam sido adotados apresentaram uma habilidade superior para falar coreano, o que leva a crer que o conhecimento prático da linguagem é armazenado já nos primeiros meses de vida.

A neurociência ainda investiga a importância da primeira infância para o desenvolvimento (Fonte: Plataforma FutureLearn)

A partir desta perspectiva, com algum suporte técnico, os adultos podem e devem explorar essa habilidade inata dos bebês. O curso English in Early Childhood, promovido pelo British Council /Conselho Britânico, é uma boa oportunidade e está com inscrições abertas até o dia 20 de março. Pais e professores interessados poderão entender de que forma acontece a aquisição da linguagem durante a primeira infância, ou seja, até o sexto aniversário. Com duração de seis semanas, o curso é gratuito e demanda uma dedicação de apenas duas horas por semana. Quem não puder começar agora deve registrar o interesse para uma das próximas turmas, sem previsão de início, na mesma página da inscrição.

“Crianças pequenas desenvolvem competência linguística de maneira espontânea. Diferentemente dos adolescentes e dos adultos, elas se motivam para conhecer a língua de forma não intencional. A ideia de que aprender a falar inglês é difícil não lhes ocorre, a não ser que seja sugerida por adultos, os quais provavelmente só tiveram contato com o idioma estrangeiro mais tarde, numa outra fase da vida, em um curso que usava livros de base gramatical”, lembra a consultora educacional Opal Dunn.

Personagens usados no curso fazem sucesso (Fonte: Divulgação)

A metodologia inclui artigos, vídeos e transmissões ao vivo, com depoimentos de especialistas e de pais, além de dicas valiosas e material de apoio que pode ser baixado da plataforma FutureLearn, onde acontece o curso on-line. É esperado, também, que os alunos compartilhem opiniões, ideias e perguntas com os demais participantes. Uma série de aplicativos educacionais utilizados nos centros de aprendizagem Learning Time with Shaun and Timmy , para crianças de 2 a 6 anos, reforça o conjunto de recursos disponibilizado pelo British Council.

O curso English in Early Childhood foi planejado para pais, professores de Inglês, cuidadores de crianças e pesquisadores de linguística em geral. Mesmo quem não tem o Inglês como língua materna pode acompanhar as aulas sem problemas, uma vez que ele exige apenas um nível intermediário de proficiência do idioma. A oportunidade oferece, ainda, ganhos adicionais: refletir sobre formas de se comunicar com mais eficiência junto às crianças pequenas, perceber a conexão entre aprendizagem e o bem-estar delas, discutir a importância de brincar, reconhecer as oportunidades de desenvolvimento que a linguagem proporciona, aprender a identificar maneiras que permitam apoiar e desafiar as crianças, bem como mensurar que progresso estão fazendo. O mais importante de tudo é que esses mesmos princípios norteadores servem para aprender qualquer idioma, inclusive o que se fala em casa.

Fontes:

BRIGGS, Helen. Bebês Guardam Conhecimento de Língua que Ouvem no Começo da Vida. In: Site da BBC, acesso em 10/03/2017

Site do British Council