Processo Seletivo DAF 2021 12


22 Fevereiro 2022
 
O pífano é uma espécie de flauta (Foto: Janine Moraes - MinC/ Creative commons)

Pífano, pífaro (como conhecido em Portugal) ou, ainda, "pife", na linguagem do interior, é um tipo de flauta transversal popular, em formato de cilindro, produzida em diferentes tipos de material, como bambu, taboca, taquara, ferro, alumínio, e até mesmo de tubo PVC.

O pífano é um instrumento tradicional da região Nordeste do Brasil, presente em festas cívicas, cortejos religiosos, novenas e procissões. Atualmente, também está presente em blocos de carnaval e inserido no mercado fonográfico.

Sua origem não é unanimidade entre pesquisadores. Alguns acreditam que tenha surgido na Europa, outros na África e, ainda, há quem acredite na herança indígena.

Uma tese é de que o pífano teria chegado ao Brasil por meio de jesuítas e militares portugueses. Já em terras brasileiras, teria sido apresentado aos indígenas – que passaram a utilizar o instrumento em rituais de dança – e disseminado pelos sertões, ao longo dos anos.

As bandas de pífano são grupos instrumentais de percussão e de sopro. Alguns pesquisadores apontam semelhanças entre as bandas de pífano e orquestras africanas de São Tomé e Príncipe.

Os instrumentos que compõem a banda podem variar de acordo com a região ou estado brasileiro. No entanto, em geral, a base é formada por dois pífanos – que comandam a banda –, um surdo, um tarol (instrumento de percussão similar à caixa) e um bombo (tambor cilíndrico de grande dimensão), também conhecido como zabumba.

Além desses, caixa, tambor, pratos de metal, triângulo, ganzá e viola também podem integrar a banda.

A denominação do conjunto também pode variar entre cada estado nordestino, além de Minas Gerais e de Goiás, localidades onde são mais populares. Por exemplo: banda de pife, zabumba, cabaçal, esquenta-mulher, banda de negro, terno, banda de couro, musga do mato e pipiruí.

Oficina de pífano no Ensino Fundamental

Uma oficina de pífano para crianças de 9 a 12 anos foi desenvolvida em uma escola municipal no Recife (PE), por Leonardo Araújo da Silva, especialista em Educação Musical e licenciado em música popular com habilitação em Flauta – Transversal.

A experiência é contada no artigo O Pífano nordestino como instrumento de musicalização no Ensino Fundamental, apresentado no IV Congresso Nacional de Educação.

Manifestações culturais ligadas à música, à dança e à religião são símbolo de resistência, da identidade e da história de diversos territórios e povos. No Brasil, essas manifestações tiveram origem ou influência africana, indígena e, também, europeia. São exemplos: o afoxé, a banda de pífanos, o siriri, serafina, o tambor de crioula, o ticumbi e o cavalo-marinho.

Fontes:

Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira.
GASPAR, Lúcia. Bandas de Pífano. In: Pesquisa Escolar. Recife: Fundação Joaquim Nabuco, 2003.
Laboratório de Estudos Etnicomusicológicos – LABEET/ UFPB.
SWI swissinfo.ch

Veja também:
Mídias Relacionadas
Relacionados
Mais Recentes