14 Novembro 2017
0
0
0
s2sdefault
 

Foto: Museu Itinerante de Neurociências (MIN)

O projeto Museu Itinerante de Neurociências (MIN), parceria entre a ONG Organização Ciências e Cognição e o Núcleo de Divulgação Científica e Ensino de Neurociências da Universidade Federal do Rio de Janeiro (CeC-NuDCEN/UFRJ), leva até as escolas da cidade do Rio de Janeiro e dos municípios da região metropolitana o Dia do Cérebro, um conjunto de ações focadas na promoção da alfabetização e difusão científica. Entre as atividades estão o Laboratório Aberto de Práticas, exposições de peças anatômicas e palestras ligadas ao tema central do MIN de 2018: envelhecimento. A iniciativa é voltada a turmas do Ensino Fundamental II e do Ensino Médio.

“O projeto tem por finalidade oferecer os primeiros contatos de alunos e visitantes com fundamentos básicos de neurociências, auxiliando a formação de conhecimentos que poderão ser recuperados, posteriormente, durante o ensino formal ou no dia a dia”, explica o professor da UFRJ Alfred Sholl-Franco, coordenador do CeC-NuDCEN/UFRJ e também um dos fundadores da ONG, ao lado de Gláucio Aranha. 

Laboratório Aberto de Práticas na E.M. Prof. Lígia da Silva França, em São João de Meriti (Foto: Página do Facebook do Museu Itinerante de Neurocências)

Em média, são selecionadas cinco escolas por ano. A unidade interessada precisa ter disponibilidade de espaço, incluindo área coberta, e de realizar cópias dos textos de divulgação científica a serem distribuídos durante as visitações. Além disso, a Direção deve indicar alunos e professores para participarem do evento como monitores voluntários, os quais serão capacitados pela equipe do MIN e receberão certificados.

Inscrições até 30 de novembro pelo site

Para realizar a inscrição é necessário preencher o Formulário de Solicitação de Visitação às Escolas, assinado pelo diretor da unidade, e enviá-lo junto de três fotos da escola (incluindo a fachada da unidade e o local proposto para a realização do evento) até o dia 30 de novembro, por meio do site do projeto.

A inscrição é a primeira etapa do processo de seleção das escolas a serem visitadas no próximo ano (2018) pelo projeto. Depois que os documentos solicitados forem verificados, as unidades serão classificadas conforme localização, público atendido e área disponível para a realização das atividades.  

Entre os anos de 2010 e 2016, o MIN atendeu um total aproximado 40 mil participantes, entre crianças, jovens e adultos (Imagem: MIN)

“Nossa prioridade é atender escolas que teriam pouco ou difícil acesso ao conhecimento que levamos. Avaliamos a demanda para fazermos uma divisão por áreas ou regiões e entre unidades públicas e privadas. Temos tido uma proporção de 80% de escolas públicas atendidas”, ressalta Alfred, reforçando a importância do envio de fotos da escola para a avaliação do espaço.

O resultado será divulgado no site a partir de 9 de dezembro.

Em contrapartida, as escolas selecionadas participam de atividades de pesquisa voltadas para a educação e/ou divulgação científica, desenvolvidas pela equipe do MIN, colaborando, assim, para o desenvolvimento acadêmico/científico nessas áreas e a melhoria contínua das ações do museu.

A equipe do MIN também é responsável pela Semana do Cérebro, realizada anualmente no mês de março, no Espaço Ciência Viva (Tijuca) e nos campi da UFRJ e da Universidade Federal Fluminense (UFF).

Mídias Relacionadas
Relacionados
Mais Recentes