04 Junho 2018
0
0
0
s2sdefault
 
O professore Frederico Moreira começou o projeto piloto na 11ª CRE.

A partir de 2018, alguns professores de Educação Musical do Município passaram a lecionar também para a Educação Infantil e os três primeiros anos do Ensino Fundamental, em vez de apenas para o segundo segmento, como acontecia até então.

 A proposta foi de Frederico Martius Moreira, professor municipal desde 2011, e o secretário César Benjamin autorizou o início do projeto-piloto em duas escolas da 11ª CRE: EDI Tenente Pedro de Lima Mendes e E.M. Anita Garibaldi, ambas no bairro do Galeão. “A música ajuda a desenvolver nas crianças o ritmo, a capacidade de prestar atenção, de esperar a vez, de ouvir, além de atuar na socialização e na psicomotricidade – habilidades muito bem-vindas no letramento”, conta Frederico.

De fato, a turma com 18 crianças de 5 anos do EDI Tenente Pedro de Lima Mendes não desgrudou os olhos de Frederico durante os cerca de 40 minutos de aula. No início, cantando, acompanhando o professor ao teclado, os alunos cumprimentaram e brincaram com os colegas sentados ao lado. Depois, metade recebeu duas claves (pedaços arredondados de madeira), e a outra metade, caxixis (espécie de chocalho de palha). Munidos de seus instrumentos, acompanharam ritmos propostos pelo professor. Frederico tocou melodias logo reconhecidas pelos pequenos, que estavam na sua terceira aula de música. –Chapeuzinho vermelho!, adivinhou um. – Essa é a da fada!, exclamou outra voz infantil ao reconhecer as notas. Durante todo o tempo de aula, as crianças participaram com organização e alegria. Para encerrar, Frederico usou uma flauta transversa para que a turma relaxasse.

A proposta é que a música ajude na alfabetização.

As crianças da Educação Infantil continuarão a ser monitoradas para verificar se e quais foram seus ganhos em relação às que não tiveram aulas de Educação Musical.

Os estudantes do segundo segmento atendidos pelo projeto-piloto não ficarão sem a disciplina, mas ela será disponibilizada por meio de oficinas no contraturno para aqueles que manifestarem o desejo de aprender a tocar instrumentos. Esse é o caso da terceira escola na qual Frederico dá aulas – E.M. Cuba (11ªCRE), no bairro Zumbi.

Também foi criado um grupo de trabalho com professores de Música e profissionais da CRE e da SME para discutir as experiências do projeto e propor atividades musicais com base nas necessidades de cada escola. A reestruturação da Educação Musical está sendo bem acolhida na 11ª CRE. Dois outros professores começaram a lecionar nesses novos moldes: Einar Lima, na Escola Municipal Alice Tibiriçá, em Jardim Carioca, e Ana Lúcia Souza, na Escola Municipal Rotary, na Freguesia. Além disso, o modelo já se expandiu para a 1ª, a 2ª e 3ª CREs, sendo implementado em uma escola de cada uma dessas regiões.

Assista abaixo ao episódio da série Curta e Compartilhe sobre o projeto.

Mídias Relacionadas
Relacionados
Mais Recentes