Da série
História dos Esportes no Rio
03 Março 2016
0
0
0
s2sdefault
 

 

Primeiros trajes de banho para mulheres (Ilustração: entrerendasebabados.com.br)

A identificação do carioca com a prática esportiva vem de longe. Até chegar ao futebol, vários outros esportes desfrutaram da preferência do público, como o remo e o turfe. Até mesmo as touradas tiveram seu período de ouro na cidade, elevadas a uma categoria atlética, quando pessoas comuns entravam nas arenas, nas chamadas “provas de curiosos”.

A nova série do Portal MultiRio, que serve de aquecimento para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos do segundo semestre de 2016, tem como principal fonte os artigos publicados por Victor Andrade de Melo, professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), onde coordena o Sport: Laboratório de História do Esporte e do Lazer. Confira uma prévia do tema nesta entrevista realizada com o pesquisador.

Portal MultiRio – Como se deu o desenvolvimento dos esportes, em geral, na cidade do Rio de Janeiro?

Victor Andrade de Melo – O desenvolvimento dos esportes é um desdobramento de vários fatos articulados. A partir dos anos 1850, podemos citar alguns: o desenvolvimento de uma cena pública mais ativa, e com o delineamento de um mercado ao redor dos entretenimentos; maior vinculação com o continente europeu, inclusive em função do desenvolvimento tecnológico e por desejo de adoção de certos parâmetros civilizatórios; o aumento das preocupações com a higiene e saúde, bem como, a partir dos anos 1870, com a defesa nacional.

PM – Qual foi a contribuição da imprensa e das artes para essa apropriação da cultura desportiva por parte da população?

VAM – A imprensa foi fundamental no desenvolvimento da prática esportiva, ao divulgar suas atividades e reforçar determinadas representações que foram fundamentais para a construção de sua popularidade.

Victor Andrade de Melo (Foto: Arquivo pessoal)

PM – Que influência o poder público exerceu nesse processo?

VAM – Na segunda metade do século XIX, o poder público apoiou o desenvolvimento esportivo de forma esporádica, já o considerando uma prática interessante para reforçar a ideia de que a sociedade brasileira progredia e se civilizava. No início do século XX, esse investimento e esse apoio se tornaram mais comuns e estruturados, destacando-se como pioneiro o envolvimento do prefeito Pereira Passos, que concebeu uma mobilização do esporte no âmbito das reformas que liderou no Rio de Janeiro.

PM – No que diz respeito às classes sociais separadamente, como se deu o grau de adesão àquelas novidades do setor que desembarcavam por aqui?

VAM – O esporte foi popular desde o início. No princípio, contudo, os mais populares participavam apenas como público, a não ser no caso dos jóqueis do turfe. Uma maior participação dos populares como praticantes somente se observa nos anos iniciais do século XX, sendo o futebol o esporte que marca esse novo envolvimento.

PM – Você já escreveu artigos descrevendo a prática das touradas no Rio de Janeiro. Além delas, que outros costumes de época poderiam ser considerados insólitos pela sociedade carioca contemporânea?

VAM – O que é interessante perceber é que houve muitas coisas curiosas em função de que ainda se construíam as experiências esportivas. Um exemplo é o caso das fábricas de cerveja que se localizavam na Rua de Matacavalos (atual Rua do Riachuelo) e Rua da Guarda Velha (atual Treze de Maio). Eram verdadeiros complexos de entretenimento, em que havia a bebida, mas também música, jogos e algumas práticas esportivas, bem como apresentações de ginástica.

Mídias Relacionadas
História dos Esportes no Rio
Mais da Série
Relacionados
Mais Recentes