Da série
MCE Reportagens
11 Agosto 2020
0
0
0
s2sdefault
 
E-book criado pela professora Danielle Cristina Pereira reúne atividades e jogos para toda a família (Foto: Arquivo pessoal da professora)

Para que as crianças registrem como estão vivenciando os dias de isolamento social e construam memórias afetivas desse período, a professora Danielle Cristina Pereira, da E.M. José Eduardo de Macedo Soares (3ª CRE), em Lins de Vasconcelos, criou um livro de memórias interativo, em formato digital (e-book), com atividades e jogos que envolvem toda a família. O material foi pensado para uma turma de 3º ano, mas pode ser usado e adaptado para alunos de diferentes faixas etárias, segundo a docente.

Em Minhas memórias 2020, as crianças são convidadas a desenhar, colar fotos e imagens e escrever sobre elas mesmas e sobre as pessoas com quem estão passando esse período. Na intenção de aproximar toda a família, o livro oferece versões de jogos conhecidos por pessoas de diferentes gerações, como memória, dominó, jogo da velha e Uno (cartas). O e-book também é interativo: por meio de hiperlinks, as crianças são redirecionadas a vídeos com animações do Mundo Bita, da dupla Palavra Cantada etc.

Nas atividades, a professora explora gêneros textuais que já haviam sido abordados com os alunos - carta, bilhete, receita e histórias em quadrinhos. “Sugiro que coloquem bilhetes com mensagens positivas e de esperança em um vidrinho e que criem listas de como se animar naquele dia”, exemplifica.

Para que os responsáveis não se sintam perdidos, Danielle os orienta, no início do livro, sobre como realizar as tarefas com as crianças. Em um cronograma de estudos, o aluno escreve a data, a atividade realizada e sinaliza como se sentiu na ocasião.

A professora ressalta que não é preciso imprimir o material. “O livro é um guia, uma inspiração. As atividades podem ser feitas em um caderno ou em folhas soltas, colocadas em uma caixa de memórias, por exemplo, e a família pode brincar com jogos que já possuam em casa”, diz.

“Tudo foi pensado com muito carinho e muito cuidado, considerando aspectos pedagógicos e afetivos. O envolvimento da família nesse processo é fundamental. É muito importante que o responsável reserve um período do dia para sentar com a criança, interagir, brincar, ouvir o que ela tem para dizer. Na correria do dia a dia, falta tempo, mas precisamos nos reconectar. A criança precisa do adulto para entender sentimentos ainda desconhecidos. É preciso dizer, por exemplo, que ter medo é normal e que nós, adultos, também sentimos”, explica a professora.

A produção e a repercussão do e-book

Danielle Pereira comanda uma turma de 3º ano na E.M. José Eduardo de Macedo Soares, em Lins de Vasconcelos (Foto: Arquivo pessoal da professora)

O livro Memórias Inventadas - a Infância, de Manoel de Barros, foi uma inspiração para Danielle criar o e-book. Durante as aulas presenciais, nos primeiros dias do mês de março, ela começou a trabalhar com sua turma a questão da memória, convidando os alunos a falar sobre o que gostavam de fazer e resgatar lembranças de bons momentos vividos por eles.

“A partir do que as crianças compartilharam e dessa obra do Manoel de Barros, tive a ideia de produzir o livro, que busca registrar a experiência e a vivência dos alunos durante o isolamento social. Como é para eles ficar em casa? Como é estar longe da escola e dos amigos? Quando as aulas presenciais retornarem, pretendo retomar esse material em sala de aula. Quero que todos possam conversar sobre como foi esse período e, quem sabe, fazer um livro coletivo da turma, com as percepções deles e, também, dos pais e responsáveis”, conta a docente, que recorreu a seu conhecimento prévio na área de design gráfico para criar a publicação usando o Illustrator Adobe e a plataforma Canva.

Danielle comenta que outros professores podem adaptar as ideias do livro para a realidade de suas turmas e reforça que, antes mesmo da questão pedagógica, a proposta é fortalecer a criança. “É uma oportunidade para a família falar e mostrar que a criança não está sozinha, está protegida. Esse momento vai passar, mas de forma diferente para cada um, como é a vida”, ressalta.

A repercussão do e-book surpreendeu a professora. Ela já recebeu mensagens de docentes dos estados de Pernambuco e da Bahia, por exemplo, que estão usando o material com suas turmas. “Não achei que o livro pudesse chegar tão longe! Comecei a divulgar no grupo da minha escola no WhatsApp e com amigos, que foram compartilhando o material. O retorno foi ainda maior depois que essa experiência foi publicada na plataforma Vivescer e indicada como uma maneira de trabalhar a emoção com as crianças”, conta, orgulhosa, Danielle. 

A plataforma Vivescer foi disponibilizada para a Rede por meio de uma parceria dos organizadores com a Escola de Formação Paulo Freire (EPF), que desenvolve várias ações no campo das habilidades socioemocionais.

Material de complementação aborda habilidades socioemocionais

O Espaço de SER (Sentir, Expressar e Relacionar) é um programa que trabalha as habilidades socioemocionais dentro da escola, também articulado pela EPF. Com a suspensão das aulas, esse material foi disponibilizado no Portal MultiRio, na área do Material de Complementação Escolar (MCE), dividido por ano de escolaridade, para oferecer um espaço para pensar e praticar a educação socioemocional de maneira divertida. Acesse!

Mídias Relacionadas
MCE Reportagens
Mais da Série
Relacionados
Mais Recentes