Da série
Bairros Cariocas
08 Abril 2014
0
0
0
s2sdefault
 

escada hidraulica_camorimCom uma área que corresponde a 16% de todo o município do Rio de Janeiro (12,5 mil hectares), o Parque Estadual da Pedra Branca (PEPB) se estende por partes de 17 bairros: Jacarepaguá, Taquara, Camorim, Vargem Pequena, Vargem Grande, Recreio dos Bandeirantes, Grumari, Padre Miguel, Bangu, Senador Camará, Jardim Sulacap, Realengo, Santíssimo, Campo Grande, Senador Vasconcelos, Guaratiba e Barra de Guaratiba.

O PEPB foi transformado em unidade de conservação através da Lei nº 2.377, de 28 de junho de 1974. O ponto mais alto do município do Rio de Janeiro também fica lá: é o Pico da Pedra Branca, com 1.025 metros de altitude. Para facilitar a administração de um parque tão extenso e receber melhor os visitantes, foram criadas uma sede, na Taquara, e duas sub-sedes, em Camorim e em Piraquara (Realengo). A partir de 2012, ano de inauguração da primeira Unidade de Polícia Ambiental (UPAm) do estado, 45 guarda-parques passaram a atuar no PEPB. Cabe à equipe dar orientações sobre as trilhas, combater incêndios florestais e desmatamento, e realizar ações de busca e salvamento.

O Parque da Pedra Branca protege o maior trecho de Mata Atlântica em área urbana do Brasil. Segundo o Instituto Estadual do Ambiente (INEA), o PEPB abriga mais de 900 espécies de plantas já catalogadas, das quais 267 são endêmicas daquele bioma. Na região de Camorim se encontram exemplares raros, como o pau-brasil, a copaíba, o jacarandá-da-bahia e a figueira-vermelha. Existe até um tipo de bromélia exclusivo do parque: a Neoregelia camorimiana.

Em relação à fauna, também muito diversificada, preguiças, cachorros-do-mato e jararacas são apenas alguns dos animais mais conhecidos. Segundo o Guia de Trilhas do PEPB de 2013, foram identificadas 479 espécies: 43 de peixes, 20 de anfíbios, 27 de répteis, 338 de aves e 51 de mamíferos, sem contar os insetos. Vinte espécies de aves estão sob risco de extinção, como o uru, o gavião-pombo-pequeno e o apuim-de-costas-pretas.

estacao cedae_camorim_2Além do patrimônio natural, construções históricas são um atrativo a mais para qualquer visitante. Projetada pelo engenheiro e político Sampaio Corrêa, a Unidade de Tratamento Camorim data de 1908. O açude, composto por uma represa, aquedutos e desarenadores, abastece ainda hoje cerca de 20 mil habitantes na Baixada de Jacarepaguá. Localizado num vale entre as serras do Quilombo, do Nogueira e o Pico do Sacarrão, tem águas cristalinas e chega a 18 metros de profundidade.

O Parque Estadual da Pedra Branca esbanja atrativos para todos os gostos: atividades científicas, educativas, recreativas e ecoturísticas. Banho de cachoeira, arvorismo (travessia entre plataformas instaladas no topo das árvores), passeio de caiaque, bouldering (escalada em rocha, praticada sem o uso de cordas) e observação de aves e borboletas servem de aperitivo para uma experiência que não tem precedente. O horário de visitação vai de terça-feira a domingo, das 8h às 17h.

Bairros Cariocas
Mais da Série
Relacionados
Mais Recentes