ACESSIBILIDADE
Acessibilidade: Aumentar Fonte
Acessibilidade: Tamanho Padrão de Fonte
Acessibilidade: Diminuir Fonte
Youtube
Facebook
Instagram
Twitter

São Cristóvão: um olho no passado e o outro nas estrelas
SÉRIE
Bairros Cariocas
10 Março 2017 | Por Sandra Machado
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Whatsapp
Quinta da Boa Vista em ilustração de Thierry Frères. A área integrava uma das fazendas dos jesuítas

São Cristóvão já conheceu dias mais imponentes. Ao longo do século XIX, foi ali que viveram três gerações de monarcas – Dom João VI, Dom Pedro I e, até o fim do regime, Dom Pedro II – instaladas no lugar atualmente conhecido como Quinta da Boa Vista, onde ficava a mansão mais suntuosa do Rio de Janeiro, doada à família real por um comerciante libanês. Na atualidade, o então chamado Paço de São Cristóvão serve de sede ao Museu Nacional de Arqueologia e Antropologia. Outra construção marcante do período é o Museu do Primeiro Reinado, que funciona no Solar da Marquesa de Santos. Graças à História e ao decreto 28.302, de 14 de agosto de 2007, São Cristóvão foi reconhecido como o único bairro imperial da cidade do Rio de Janeiro. Mesmo antes da república, as primeiras iniciativas para a instalação de centros de pesquisa do céu começaram a se delinear na região. Hoje funcionam, no mesmo campus, o Observatório Nacional e o Museu de Astronomia e Ciências Afins (Mast).

Origem antiga

Entre 1572 e 1583, uma grande sesmaria pertencente aos jesuítas, que se estendia do Rio Comprido até Inhaúma, foi desmembrada em três engenhos: Fazenda do Engenho Velho, Fazenda do Engenho Novo e Fazenda de São Cristóvão. Uma igrejinha dedicada ao santo, que ficava à beira-mar e era frequentada por pescadores, batizou a última. Aterros sucessivos fizeram a orla desaparecer, mas o nome sobreviveu. Em 1752, foi inaugurada uma construção que ainda está de pé e que, apesar da beleza e importância histórica, é pouco conhecida pelos cariocas: o Hospital Frei Antônio, administrado pela Irmandade da Candelária.

Originalmente, o prédio era a sede da Fazenda de São Cristóvão. A produção agropecuária local ajudava a abastecer a cidade. Porém, com a decisão do Marquês de Pombal de expulsar os jesuítas do Brasil colônia, de 1759 a 1760 serviu como cárcere para cerca de 200 padres da Companhia de Jesus, antes que seguissem para o exílio. As instalações, então, se transformaram no Hospital São Lázaro, destinado a acolher os portadores de hanseníase que já moravam na Praia de São Cristóvão. Após um período de ostracismo, foi apenas a partir da vinda da família real portuguesa, em 1808, que a região se dividiu em chácaras adquiridas por comerciantes abastados.

O tombamento do Observatório Nacional inclui o edifício-sede, a Casa Branca, a Sala da Hora, as oficinas, alojamentos e os preciosos equipamentos científicos do acervo, mas também as árvores e a Ladeira do Gusmão, que dá acesso ao campus (Foto: Leandro Ciuffo/Creative Commons)

Também se seguiram algumas benfeitorias: a área ganhou novo acesso pelo Caminho do Aterrado ou das Lanternas e, em 1858, foi inaugurada a Estrada de Ferro Dom Pedro II, que cortava toda a Província do Rio de Janeiro, cruzando-a do centro da cidade até o município de Queimados. No Largo da Cancela, que recebeu o nome por causa do controle que os jesuítas exerciam sobre a passagem dos tropeiros, começava a Estrada Real de Santa Cruz, que dava acesso a São Paulo e Minas Gerais. Com o advento da república, no entanto, o bairro imperial perdeu importância. Até a década de 1930, predominavam ali as vilas residenciais e um pequeno comércio de imigrantes portugueses. As linhas de bonde, primeiro as de tração animal e, depois, as eletrificadas – Alegria, São Januário, Cancela, Pedregulho e Bela de São João –, serviam para o transporte da mão de obra a outras regiões da cidade. O incremento da indústria automobilística nos anos 1950 acabou atraindo muitas fábricas para São Cristóvão, assim como acontece, hoje, no setor de moda e confecção, que concentra no bairro mais de 300 empresas.

Lazer para todos os gostos

Além do Museu Nacional, na imensa área verde da Quinta da Boa Vista funciona o Jardim Zoológico carioca, inaugurado por Getúlio Vargas em 1945. Instalado em uma extensão de 138 mil metros quadrados, reúne 350 espécies e milhares de exemplares de animais. Em 2005, a Fundação Jardim Zoológico da Cidade do Rio de Janeiro inaugurou o Museu da Fauna, voltado à educação ambiental e que apresenta aos visitantes os diversos ecossistemas do país. Outro ponto de lazer de destaque é o Centro de Tradições Nordestinas Luiz Gonzaga, mais conhecido como Pavilhão de São Cristóvão, onde a feira de mesmo nome atrai turistas brasileiros e estrangeiros que desejam desfrutar da gastronomia, música e cultura da Região Nordeste. Construído no fim dos anos 1950 para alojar a Exposição Internacional de Indústria e Comércio, com projeto do arquiteto Sérgio Bernardes, só a partir de 2003 passou a admitir os feirantes e comerciantes de artesanato, que até então trabalhavam no entorno do pavilhão, formando a maior concentração de cultura nordestina fora de sua terra natal.

Tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em 1938, o Solar da Marquesa de Santos constitui o principal acervo do Museu do Primeiro Reinado (Foto: Marcelo Horn/Governo do Estado RJ)

No Solar da Marquesa de Santos funciona, desde 1979, o Museu do Primeiro Reinado. Seu acervo é composto de pinturas, mobiliários, porcelana e objetos pessoais de Domitila de Castro Canto e Melo, que em 1826 recebeu aquela casa de presente do imperador Dom Pedro I, com quem mantinha um romance, e ali viveu por três anos. A edificação possui uma infinidade de salões ricamente decorados. Há pinturas murais, tetos em relevo, portas e janelas com bandeiras em forma de coração, tudo confeccionado pelos melhores artistas da época, empenhados em produzir uma ambiência digna do prédio, projetado por Pedro Alexandre Carvoé, que ocupava o cargo de Arquiteto das Obras Nacionais, em parceria com seu arquiteto particular, Pierre Joseph Pézerat.

Exemplar do estilo neoclássico no Rio de Janeiro, o solar conserva traços da Missão Artística Francesa no país. No segundo andar, chamam a atenção os deuses do Olimpo, retratados por Marc e Zepherin Ferrez, e também as pinturas românticas de autoria de Francisco Pedro do Amaral. Já na Sala Memórias, se destacam as liteiras e cadeirinhas de arruar, usadas como meio de transporte pela elite, que era carregada nas ruas pelos escravos. Para o mesmo endereço está prevista a implantação do Museu da Moda Brasileira.

Inaugurada em 1859, a Estação Ferroviária São Cristóvão, então chamada de Estação da Quinta Imperial, servia exclusivamente a Dom Pedro II. Demolida em 1925, estranhamente passou por uma reconstrução com aproveitamento de material original, sendo recolocada no mesmo lugar onde se encontra até hoje. A cobertura do prédio é em telha de cerâmica francesa, sustentada por treliças de madeira.

Escrito nas estrelas

É longa e bastante poética a trajetória do Observatório Nacional. Começou com Dom Pedro I, no dia 15 de outubro de 1827, e por razões bem diferentes das que motivam a pesquisa do céu na contemporaneidade. Dada a importância das navegações naquele momento histórico, tudo justificava o investimento na ciência que orientava os comandantes dos navios em suas viagens de além-mar. Inclusive a prática com os instrumentos astronômicos e geodésicos também se aplicava nos estudos geográficos do território brasileiro. Uma das providências tomadas após a Proclamação da República foi a alteração do nome da instituição, de Imperial Observatório do Rio de Janeiro para a nomenclatura atual. Quanto à localização, já passou por diversos endereços: o torreão da Escola Militar, a Fortaleza da Conceição e antigas instalações de uma igreja no Morro do Castelo. Em 1888, o parlamento aprovou a concessão de uma verba para a construção de um novo prédio na Fazenda Imperial de Santa Cruz, plano interrompido dois anos mais tarde, quando o governo militar republicano providenciou o retorno do observatório à alçada do Ministério da Guerra, com o nome de Observatório do Rio de Janeiro.

Conhecido como Lazareto, o Hospital Frei Antônio ficava à beira-mar. Com a construção dos gasômetros, ficou escondido, embora ainda conserve pátios internos decorados de azulejaria e uma aleia de palmeiras na entrada (Fonte: turistaaprendiz.org.br)

Em 28 de setembro de 1913, foi assinada a ata de lançamento da pedra fundamental do novo Observatório Nacional (ON), mas apenas em 1921 ele foi efetivamente transferido do Morro do Castelo para o Morro de São Januário, em São Cristóvão, onde funciona até hoje. Foi ali que, em 1925, um dos maiores cientistas de todos os tempos fez uma visita: Albert Einstein. Em março de 1985, foi criado o Museu de Astronomia e Ciências Afins (Mast), que funciona no mesmo campus e oferece uma série de atividades para a divulgação da ciência, como observação do céu e visita guiada, além de cursos de pós-graduação e capacitação profissional. Desde 1999 o ON se encontra subordinado ao Ministério da Ciência e Tecnologia.

O ON é uma das mais antigas instituições de pesquisa, ensino e prestação de serviços tecnológicos do país e o mais velho centro astronômico em funcionamento na América do Sul. O Anuário do Observatório tem sido publicado desde 1885. Graças ao trabalho realizado pelo ON foi possível demarcar boa parte das fronteiras nacionais. E uma expedição chefiada pelo astrônomo belga Luis Cruls ao Planalto Central, entre 1892 e 1896, determinou o local de construção da nova capital federal. Cabe ao ON gerar, manter e disseminar a hora legal brasileira. Os cursos promovidos buscam capacitar professores das redes de ensino pública e privada, considerados vetores na multiplicação do conhecimento científico.

Escolas também são tombadas

O bairro de São Cristóvão é pródigo em construções que vale a pena conhecer, como o Conjunto Habitacional Prefeito Mendes de Moraes, mais conhecido como Pedregulho, um dos grandes símbolos da arquitetura moderna no Brasil, e que representa uma fase de política habitacional com cunho social. Construído entre 1947 e 1958 para moradia de funcionários públicos, tinha no projeto original lavanderia, posto de saúde, mercado, escola, ginásio, capela, parque aquático e outras instalações que foram sendo abandonadas com o passar do tempo. O complexo contou com a concepção de gênios da época: Affonso Eduardo Reidy, autor do projeto; Carmen Portinho e Francisco Bologna, integrantes da equipe de arquitetos; Cândido Portinari, autor do painel de azulejos do ginásio; Anísio Medeiros, criador do painel que reveste o vestiário da piscina; e Roberto Burle Marx, que assinou o projeto paisagístico dos jardins e confeccionou o painel em pastilhas vitrificadas Brinquedos e Brincadeiras, do afresco Mestre e Alunos Estudando, colocado na sala dos professores.

Entre uma dezena de unidades da Rede Municipal de Ensino localizadas no bairro, pelo menos três são tombadas: a Escola Municipal Floriano Peixoto é a primeira delas e fica no mesmo local em que viveu o homem que foi presidente da República de 1891 a 1894. Inaugurada no dia 26 de fevereiro de 1922, a unidade tem uma planta curiosa, formada por módulos octogonais. Outra é a Escola Municipal Gonçalves Dias, que integrava o conjunto chamado de “escolas do imperador”. Começou a funcionar no dia 25 de setembro de 1872, mas, na época, se chamava Escola de São Cristóvão. Só mais tarde passou a homenagear o poeta brasileiro. A terceira unidade tombada é a Escola Municipal Nilo Peçanha. Em estilo neoclássico, o prédio foi construído para servir como residência e só virou escola em 1910. Na gestão do prefeito Carlos Sampaio (1920-1922), teve sua capacidade ampliada, com a construção do segundo pavimento.

Serviço:

Museu do Primeiro Reinado

Avenida Dom Pedro II, 293.

Telefone: 2332-4513

Visitação: de terça a sexta-feira, das 10h às 17h.

Ingresso: grátis.

 

Observatório Nacional

Rua General José Cristino, 77.

Telefone: 3504-9100

Visitação: de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

Ingresso: grátis.

Fontes:

BIENE, Maria Paula van. O Paço de São Cristóvão, Antigo Palácio Real e Imperial e Atual Palácio-Sede do Museu Nacional/UFRJ: a Definição de uma Arquitetura Palaciana. Tese (Doutorado em Artes Visuais) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Escola de Belas Artes. Rio de Janeiro, 2013.

CZAJKOWSKI, Jorge (org). Guia da Arquitetura Colonial, Neoclássica e Romântica no Rio de Janeiro / Centro de Arquitetura e Urbanismo do Rio de Janeiro. Editora Casa da Palavra, Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro.

____________________. Guia da Arquitetura Moderna no Rio de Janeiro / Centro de Arquitetura e Urbanismo do Rio de Janeiro. Editora Casa da Palavra, Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro.

Portal Fundação Casa de Rui Barbosa

Portal Funarj – Fundação Anita Mantuano de Artes do Estado do Rio de Janeiro

Portal Geo Rio. Bairros Cariocas – Armazém dos Bairros (São Cristóvão)

Portal Observatório Nacional

Portal Museu de Astronomia e Ciências Afins

Prefeitura do Rio de Janeiro. Guia do Patrimônio Cultural Carioca – Bens Tombados 2014. 5ª edição

 
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Whatsapp
MAIS DA SÉRIE
texto
O leopoldinense bairro de Olaria

O leopoldinense bairro de Olaria

26/11/2020

Fábricas de tijolos, matadouro, futebol e samba marcam a trajetória do bairro.

Bairros Cariocas

texto
Bento Ribeiro: história do bairro, curiosidades e cultura popular

Bento Ribeiro: história do bairro, curiosidades e cultura popular

06/11/2020

Bairro leva nome de antigo prefeito do Rio, já recebeu Pixinguinha e foi morada de  poeta e sambistas consagrados.

Bairros Cariocas

texto
A natureza e a arquitetura de São Conrado

A natureza e a arquitetura de São Conrado

27/01/2020

Cercado pela natureza, o bairro abriga hotel projetado por Oscar Niemeyer e condomínios que se tornaram moradia de grandes artistas brasileiros.

Bairros Cariocas

texto
O bairro da Lagoa, cartão postal do Rio

O bairro da Lagoa, cartão postal do Rio

18/12/2019

Conheça a história de ocupação e urbanização da região.

Bairros Cariocas

texto
Grajaú, o interior em meio à metrópole

Grajaú, o interior em meio à metrópole

20/02/2019

Localizado na região da Grande Tijuca, na Zona Norte do Rio de Janeiro, o bairro do Grajaú é conhecido como um local tranquilo, de ruas largas e arborizadas, com muitas casas, jardins e clima residencial.

Bairros Cariocas

texto
Cordovil e a expansão do Rio para a Zona Norte

Cordovil e a expansão do Rio para a Zona Norte

04/02/2019

Bairro desenvolveu-se com a chegada do trem, a abertura da Avenida Brasil e a inauguração do conjunto habitacional construído para abrigar moradores removidos de favelas da Zona Sul.

Bairros Cariocas

texto
Laranjeiras, leito do Rio Carioca e de muitas histórias

Laranjeiras, leito do Rio Carioca e de muitas histórias

04/01/2019

A ocupação do bairro, hoje um point cultural, se acelerou com a chegada da Corte portuguesa ao Rio.

Bairros Cariocas

texto
Paciência: de moderna fazenda a bairro industrial

Paciência: de moderna fazenda a bairro industrial

02/01/2019

Suas feições urbanas começaram a surgir a partir da inauguração da Avenida Brasil.

Bairros Cariocas

texto
O estratégico bairro do Rio Comprido

O estratégico bairro do Rio Comprido

19/03/2018

Embora transformado em lugar de passagem, desde a abertura do Rebouças, ainda resguarda um viés bucólico e muitas histórias marcantes.

Bairros Cariocas

texto
Brás de Pina, a Princesinha da Leopoldina

Brás de Pina, a Princesinha da Leopoldina

23/02/2018

Bairro surgiu de um empreendimento da família Guinle e foi palco do primeiro filme policial brasileiro, gravado em ruínas de antigo engenho.

Bairros Cariocas

texto
Lins de Vasconcelos

Lins de Vasconcelos

05/01/2018

Tipicamente residencial, bairro é berço de celebridades como Mussum e Carlos Heitor Cony, abriga complexo de comunidades e tem histórico associado ao carnaval.

Bairros Cariocas

texto
Oswaldo Cruz: berço da escola de samba Portela

Oswaldo Cruz: berço da escola de samba Portela

20/02/2017

Onde se encontra música e feijoada da melhor qualidade.

Bairros Cariocas

texto
Ramos, celeiro de bambas

Ramos, celeiro de bambas

12/01/2017

Imperatriz Leopoldinense, Cacique de Ramos e Fundo de Quintal reforçam a vocação sambista do bairro.

Bairros Cariocas

texto
Recreio dos Bandeirantes: um jovem bairro carioca

Recreio dos Bandeirantes: um jovem bairro carioca

29/12/2016

Natureza preservada, esportes, lazer e cultura - muitos são os atrativos da região.

Bairros Cariocas

texto
Rio batizou Acari

Rio batizou Acari

03/11/2016

Bairro da Zona Norte recebeu mesmo nome do curso d’água, que na língua tupi significa “rio dos peixes acarás”.

Bairros Cariocas

texto
Quintino Bocaiúva, celeiro de político e craque de futebol

Quintino Bocaiúva, celeiro de político e craque de futebol

09/09/2016

O lugar preserva, ainda, construções do século XIX, como a casa em que morou um presidente do Estado do Rio de Janeiro. 

Bairros Cariocas

texto
Trabalho, serviços e lazer convivem em Botafogo

Trabalho, serviços e lazer convivem em Botafogo

25/07/2016

Casarões do século XIX e XX coexistem em harmonia com as construções recentes no bairro, que é um dos principais polos comerciais da cidade.

Bairros Cariocas

texto
Gastronomia e comércio: dois bons motivos para conhecer Benfica

Gastronomia e comércio: dois bons motivos para conhecer Benfica

18/05/2016

O bairro, na zona norte da cidade, atrai moradores de vários pontos do Rio de Janeiro e mesmo de outros estados brasileiros.

Bairros Cariocas

texto
Sepetiba fazia parte da Fazenda Real, a Joia da Capitania

Sepetiba fazia parte da Fazenda Real, a Joia da Capitania

13/04/2016

Banhado pela baía de mesmo nome, no extremo oeste do Rio de Janeiro, o bairro que já foi fazenda Real, hoje, sofre com a poluição.

Bairros Cariocas

texto
Rocinha: de fazenda a maior favela do Rio de Janeiro

Rocinha: de fazenda a maior favela do Rio de Janeiro

17/02/2016

Em busca de trabalho no Rio, migrantes do Nordeste vieram para a Rocinha nas décadas de 1950 e 1960 e, hoje, são a maioria da população.

Bairros Cariocas

texto
Catumbi, local de origem para diversos movimentos sociais

Catumbi, local de origem para diversos movimentos sociais

18/12/2015

Carnaval, associação de moradores e escotismo: no decorrer da história, a população do bairro se uniu em torno de objetivos comuns.

Bairros Cariocas

texto
Muito que conhecer no Engenho de Dentro

Muito que conhecer no Engenho de Dentro

23/11/2015

Principal polo ferroviário da cidade no século XIX, o bairro histórico da Zona Norte passa por uma fase de grande renovação.

Bairros Cariocas

texto
Barra da Tijuca: o sertão que virou a Miami brasileira

Barra da Tijuca: o sertão que virou a Miami brasileira

13/11/2015

A região, que já foi chamada de “sertão carioca”, hoje é marcada por condomínios fechados e shopping centers, como a cidade americana.

Bairros Cariocas

texto
A história do Brasil passa pelo bairro da Glória

A história do Brasil passa pelo bairro da Glória

22/10/2015

Primeiro veio a igreja que batizou a localidade. Hoje, convivem no bairro prédios empresariais e praças históricas, tendo à frente a Marina.

Bairros Cariocas

texto
Realengo: educação e cultura na Zona Oeste

Realengo: educação e cultura na Zona Oeste

27/08/2015

A real origem do nome, a história, a importância militar e os lugares marcantes do bairro.

Bairros Cariocas

texto
Maré: uma cidade dentro do Rio de Janeiro

Maré: uma cidade dentro do Rio de Janeiro

12/08/2015

Composto por 15 comunidades, o bairro é um dos mais populosos do município.

Bairros Cariocas

texto
Catete faz lembrar barões do café e presidentes

Catete faz lembrar barões do café e presidentes

23/07/2015

O bairro guarda a memória de uma época de riqueza e poder, além de oferecer atrações como cinema, restaurantes e comércio variado.

Bairros Cariocas

texto
Centro do Rio de Janeiro, um mar de histórias

Centro do Rio de Janeiro, um mar de histórias

26/06/2015

Com intensa vida cultural, financeira e decisória, é também o local onde edifícios novos convivem com construções coloniais.

Bairros Cariocas

texto
A história do jovem bairro do Complexo do Alemão

A história do jovem bairro do Complexo do Alemão

12/06/2015

Com povoamento urbano marcado por várias formas de ocupação informal, o lugar é, hoje, um dos celeiros do funk carioca e da dança do passinho.

Bairros Cariocas

texto
Outros bairros da Baixada de Jacarepaguá

Outros bairros da Baixada de Jacarepaguá

07/04/2015

A história dos bairros do Tanque, Taquara, Pechincha, Praça Seca, Freguesia, Anil, Gardênia Azul e Curicica, criados após os desmembramentos da região da Grande Jacarepaguá.    

Bairros Cariocas

texto
Jacarepaguá, um bairro que se desmembrou em dez

Jacarepaguá, um bairro que se desmembrou em dez

07/04/2015

A história da região da Grande Jacarepaguá, que se desenvolveu e se transformou em vários bairros.

Bairros Cariocas

texto
Vila da Penha, local de literatura e diversão

Vila da Penha, local de literatura e diversão

02/03/2015

O bairro é predominantemente residencial e um dos mais valorizados da Zona Norte com opções de lazer e cultura para moradores e visitantes. 

Bairros Cariocas

texto
A arte brota em Vigário Geral

A arte brota em Vigário Geral

24/02/2015

Situado na Zona Norte, o bairro é considerado o segundo polo industrial do município, além de concentrar um forte comércio e diversas instituições culturais.

Bairros Cariocas

texto
O ecletismo de Padre Miguel

O ecletismo de Padre Miguel

04/02/2015

  Com longa tradição carnavalesca, o bairro da Zona Oeste deve seu nome a um clérigo, pioneiro na exibição de filmes no Rio de Janeiro.

Bairros Cariocas

texto
Marechal Hermes: o primeiro bairro operário do Brasil

Marechal Hermes: o primeiro bairro operário do Brasil

21/01/2015

Com uma das estações ferroviárias mais charmosas da cidade, o bairro conquista moradores, visitantes e, também, vira cenário de novelas e séries nacionais.

Bairros Cariocas

texto
Penha: terra de fé, de craques e de musicalidade

Penha: terra de fé, de craques e de musicalidade

13/01/2015

O bairro já foi reduto de artistas consagrados do choro e do samba, como Donga, que lançou Pelo Telefone na festa da Igreja da Penha, este ano em sua 380ª edição.

Bairros Cariocas

texto
Copacabana: de bucólico areal a um dos réveillons mais badalados do planeta

Copacabana: de bucólico areal a um dos réveillons mais badalados do planeta

09/12/2014

Milhares de cariocas e turistas são atraídos para o Ano-Novo do bairro, que ficou internacionalmente conhecido ao encarnar a imagem de brasilidade moderna e cosmopolita.

Bairros Cariocas

texto
A séria leveza de Vila Isabel

A séria leveza de Vila Isabel

02/12/2014

Personificado nas letras das canções de Noel Rosa, o primeiro bairro projetado do Rio sempre teve duas grandes vocações: a música e a política.

Bairros Cariocas

texto
Ilha do Governador se destaca na história do Rio

Ilha do Governador se destaca na história do Rio

14/10/2014

Para a maioria dos cariocas, a Ilha do Governador é um bairro. Mas, na verdade, trata-se de uma região administrativa da Zona Norte do Rio, à qual pertencem 15 bairros, de Bancários a Zumbi.

Bairros Cariocas

texto
Conheça os 15 bairros que integram a XX Região Administrativa – Ilha do Governador

Conheça os 15 bairros que integram a XX Região Administrativa – Ilha do Governador

13/10/2014

  A história dos 15 bairros que integram a Região Administrativa da Ilha do Governador.

Bairros Cariocas

texto
Guaratiba, celeiro urbano

Guaratiba, celeiro urbano

15/07/2014

O bairro da Zona Oeste do Rio se divide em sub-regiões que ainda preservam a natureza e sua vocação rural.

Bairros Cariocas

texto
Pedra de Guaratiba: jeito de interior no perímetro urbano

Pedra de Guaratiba: jeito de interior no perímetro urbano

10/06/2014

Caso você esteja precisando repousar a mente sem sair da cidade, uma boa sugestão é dar um pulo a Pedra de Guaratiba, na Zona Oeste.

Bairros Cariocas

texto
O prazer de contemplar Barra de Guaratiba

O prazer de contemplar Barra de Guaratiba

03/06/2014

Um dos recantos mais bonitos da cidade fica na Zona Oeste. Parada obrigatória para quem vem de fora, o bairro é capaz de deixar deslumbrado até mesmo quem nasceu no Rio.  

Bairros Cariocas

texto
Camorim, patrimônio natural a ser preservado

Camorim, patrimônio natural a ser preservado

08/04/2014

Verdadeiro oásis no Rio de Janeiro, tanto em relação ao verde quanto à segurança, o bairro é recordista em crescimento populacional na cidade. Segundo o mais recente censo do IBGE, o aumento foi de 150% em relação ao censo anterior.

Bairros Cariocas

texto
Guadalupe: entre a indústria e a cultura

Guadalupe: entre a indústria e a cultura

25/03/2014

Guadalupe é um bairro de classe média e média baixa da Zona Norte da cidade em plena fase de transição. Teve um passado essencialmente industrial e hoje flerta com um futuro voltado para a arte e a cultura.

Bairros Cariocas

texto
Cascadura e o crescimento nos trilhos do trem

Cascadura e o crescimento nos trilhos do trem

11/03/2014

A inauguração, em 1858, da estação de trem de Cascadura levou o comércio para a região e deu início à vocação do bairro como lugar de passagem e de transbordo para milhares de pessoas que por ali circulam, diariamente.

Bairros Cariocas

texto
Santa Teresa das mil e uma histórias e outros carnavais

Santa Teresa das mil e uma histórias e outros carnavais

24/02/2014

Conheça as histórias, a vida cultural e os blocos de carnaval desse pitoresco bairro carioca, que tem presença marcante na vida da cidade, desde os tempos de sua fundação.

Bairros Cariocas

texto
De Estação Gambá a Piedade

De Estação Gambá a Piedade

17/02/2014

Conhecido na época do Império como Estação ou Parada “Gambá”, o atual bairro da Piedade mudou de nome por apelo dos moradores. Lá, surgiu a primeira universidade do subúrbio, nasceu o futebol de Zico e o escritor Euclides da Cunha foi assassinado, em um episódio polêmico.

Bairros Cariocas

texto
Bangu: o centro geográfico do Rio de Janeiro

Bangu: o centro geográfico do Rio de Janeiro

03/02/2014

Nos anos 40, Bangu despontava como um dos bairros de maior progresso do subúrbio carioca, trazendo à cidade modismos, expressões e até saudosos desfiles de misses que encantavam o Brasil.

Bairros Cariocas

texto
Tijuca, um dos bairros mais tradicionais do Rio de Janeiro

Tijuca, um dos bairros mais tradicionais do Rio de Janeiro

27/01/2014

Situada aos pés do Maciço da Tijuca, a localidade cresceu graças aos mananciais abundantes e fez história na cultura, na educação e na identidade carioca.

Bairros Cariocas

texto
Campo Grande e seu alto potencial para o desenvolvimento

Campo Grande e seu alto potencial para o desenvolvimento

27/12/2013

Natureza, empreendedorismo e riqueza histórica caracterizam a localidade, situada na Zona Oeste do Rio.

Bairros Cariocas

texto
Del Castilho cresceu em torno da fábrica de tecidos

Del Castilho cresceu em torno da fábrica de tecidos

23/12/2013

As instalações da fábrica foram preservadas e, hoje, abrigam um shopping.

Bairros Cariocas

texto
Valqueire, a Ipanema do subúrbio carioca

Valqueire, a Ipanema do subúrbio carioca

09/12/2013

Áreas verdes e condomínios de luxo de Vila Valqueire rendem comparações com o bairro da Zona Sul do Rio de Janeiro.

Bairros Cariocas

texto
Estácio, o berço do samba

Estácio, o berço do samba

03/12/2013

Em homenagem ao fundador da cidade do Rio de Janeiro, a localidade, então conhecida como Mata-Porcos, passou a se chamar Estácio de Sá em 14 de novembro de 1865. No entanto, só foi reconhecida como bairro em 1981.

Bairros Cariocas

texto
Aldeia tupi na origem da Pavuna

Aldeia tupi na origem da Pavuna

26/11/2013

A Pavuna é um dos locais mais antigos do Rio. É possível afirmar que já havia habitantes ali antes mesmo da fundação da cidade.

Bairros Cariocas

texto
Cidade de Deus, o bairro que virou filme

Cidade de Deus, o bairro que virou filme

18/11/2013

Embora fosse um bairro projetado, a Cidade de Deus acabou ocupada de forma desordenada, para atender aos desabrigados da grande enchente de 1966.

Bairros Cariocas

texto
Ilha de Paquetá, um paraíso na Baía de Guanabara

Ilha de Paquetá, um paraíso na Baía de Guanabara

26/08/2013

Cenário de guerra e fonte de inspiração para poetas. Conheça a ilha que atrai turistas e se destaca pelo patrimônio cultural e urbanístico. 

Bairros Cariocas

texto
Instalações militares e arquitetura modernista em Deodoro

Instalações militares e arquitetura modernista em Deodoro

06/08/2013

Deodoro, um dos bairros que integram a extensa área de treinamento do Exército conhecida como Campos de Gericinó, abriga um dos maiores conjuntos residenciais do Rio, tido como paradigmático do ponto de vista da arquitetura moderna.

Bairros Cariocas

texto
Bonsucesso, passado de importante centro industrial

Bonsucesso, passado de importante centro industrial

05/08/2013

O nome do bairro faz uma homenagem de agradecimento a Cecília Vieira de Bonsucesso. No ano de 1754, a proprietária do chamado Engenho da Pedra de Bonsucesso mandou reformar uma capela dedicada a Santo Antônio, construída em 1738, que ficava em suas terras e servia à comunidade.

Bairros Cariocas

texto
Encontro com a natureza em Grumari

Encontro com a natureza em Grumari

22/07/2013

Tudo em Grumari difere do restante da cidade. O bairro não é propriamente residencial, mas uma área de reserva ambiental, o que explica o baixo número de habitantes.

Bairros Cariocas

texto
Capela de engenho inspira o nome de Santíssimo

Capela de engenho inspira o nome de Santíssimo

05/07/2013

Situado no Parque Estadual da Pedra Branca, o bairro tem um dos IDHs mais baixos da cidade, mas já viveu períodos de maior prosperidade. Seu nome tem origem em 1750, quando a capela da região ganhou um sacrário para guardar as hóstias do Santíssimo Sacramento.

Bairros Cariocas

texto
Em Irajá, a segunda maior central de abastecimento da América Latina

Em Irajá, a segunda maior central de abastecimento da América Latina

20/06/2013

Foi no entorno da Capela de Nossa Senhora da Apresentação, fundada em 1613, que surgiu o primeiro núcleo de povoamento da sesmaria do Irajá, a maior do Rio - ia de Benfica a Campo Grande. Mas as feições de bairro só surgiram mesmo a partir de 1880, com a inauguração da Estrada de Ferro Rio D’Ouro.

Bairros Cariocas

texto
Em Santa Cruz, riqueza histórica e empreendedorismo

Em Santa Cruz, riqueza histórica e empreendedorismo

29/05/2013

A colonial Fazenda de Santa Cruz deu origem ao bairro que já foi destino de veraneio da família real e, hoje, abriga indústrias e um grande tesouro arquitetônico.

Bairros Cariocas

texto
Ipanema cheia de bossa

Ipanema cheia de bossa

26/04/2013

Mundialmente conhecido como território da bossa nova e das moças de corpo dourado, Ipanema ganhou fama nacional por ter sido palco de movimentos contestatórios.

Bairros Cariocas

texto
Cultura popular e polo comercial em Madureira

Cultura popular e polo comercial em Madureira

03/04/2013

Cantado em verso e prosa por músicas que integram o imaginário carioca, Madureira é um dos maiores berços do samba e o maior polo comercial da Zona Norte e segundo da cidade.

Bairros Cariocas

texto
Méier,

Méier, "o maioral"

22/03/2013

A ocupação da região começou quando Estácio de Sá, fundador da cidade do Rio de Janeiro, doou aos jesuítas a extensa Sesmaria de Iguaçu, que incluía os atuais bairros do Grande Méier, além do Catumbi, Tijuca, Benfica e São Cristóvão.

Bairros Cariocas

texto
O discreto charme do Humaitá

O discreto charme do Humaitá

01/02/2013

Tradição e futuro se misturam no Humaitá. O bairro apresenta ruas tranquilas, casarões centenários, escolas tradicionais e algumas representações diplomáticas, além de abrigar um dos principais polos gastronômicos da cidade do Rio de Janeiro.

Bairros Cariocas

texto
Lapa: o reduto boêmio carioca

Lapa: o reduto boêmio carioca

03/12/2012

A Lapa começou a ser povoada no século XIX, com a construção de casarões para a Corte Portuguesa, e se transformou em reduto da boemia no início do século XX.

Bairros Cariocas